• Academia de Revisão

Por que, por quê, porque ou porquê?



Quando separar e/ou deixar de acentuar os porquês?

São quatro tipos de porquês e cada um tem um uso diferente. Vamos tentar explicar de uma maneira bem simples e que permita que você grave isso de vez.

Por que

São dois casos principais:

1) Quando puder ser substituído por "pelo(a) qual" ou "o motivo pelo(a) qual" sem que a frase perca o sentido.

Exemplos:

Esta é a causa por que luto. (Esta é a causa pela qual luto.)

Não sei por que ele ainda não chegou. (Não sei o motivo pelo qual ele ainda não chegou.)

2) Em perguntas (nesses casos, tente colocar a palavra "razão" depois de "por que" e veja se faz sentido).

Exemplo:

Por que você faltou à aula? (Por que razão você faltou à aula?)

Por quê

Nos mesmos casos do "por que" explicado acima, mas quando estiver no fim da frase.

Exemplos:

Você faltou à aula por quê?

Ela ainda não chegou, não sei por quê.

Porque

Basicamente, em frases explicativas, quando se está explicando algo.

Exemplos:

Ele faltou à aula porque estava doente.

Ela ainda não chegou porque pegou um congestionamento.

Porquê

Quando for um substantivo. Nesse caso, será precedido da palavra "o(s)".

Exemplos:

Não sei o porquê de você ter faltado à aula.

Gostaria de saber o quando e os porquês.

Referência:

TERRA, Ernani. Curso prático de gramática. 6. ed. São Paulo: Scipione, 2011.

#gramática #porquês

425 visualizações

E-mail:

revisao@academiaderevisao.com

 

Telefones:

(11) 2537-2735

(11) 2619-7377

(11) 99552-4140

© 2016 Academia de revisão